Carta oferta

Carta oferta: 9 modelos para diminuir sua taxa de rejeição

Encontrar a pessoa certa para uma vaga em um processo seletivo exige dedicação e tempo. Após encontrar essa pessoa, é necessário conseguir “vender” a vaga para ela. Mas ainda assim, existe mais uma etapa crucial para o sucesso de um processo de seleção: enviar uma carta oferta.

Por mais que as expectativas da empresa e candidate já estivessem sendo alinhadas na etapa de entrevistas, não é incomum uma pessoa rejeitar uma oferta após ter passado por todas as etapas de uma seleção. Se profissionais estão desistindo de seus processos exatamente nesta fase e rejeitando suas ofertas, é hora de reavaliar seus métodos e abordagem no momento de fechar uma posição.

Para te ajudar com essa questão, separamos um material com algumas dicas de como corrigir esses erros rotineiros + 9 templates para reduzir os riscos da sua empresa ser rejeitada na hora da contratação.

Descubra onde você está errando na hora de fazer uma carta oferta!

Calcule sua taxa de rejeição

Antes de mais nada, é necessário calcular o número de ofertas aceitas/ofertas recusadas. Essa análise irá te ajudar a dimensionar os dados e ter uma perspectiva mais ampla de onde está o seu problema na hora de fechar uma vaga.

Avalie também se o alto número de ofertas rejeitadas é uma situação nova ou recorrente. Se você conseguir identificar o exato momento em que o problema começou, você pode determinar a causa e, consequentemente, buscar uma solução.

3 erros comuns na carta oferta

Não manter contato com quem está participando do processo

É importante que haja uma cultura de feedback e follow ups constantes. Não se comunicar de maneira clara e objetiva também pode influenciar na decisão de candidates na hora de escolher a melhor oportunidade de carreira. Se comunicar regularmente com candidates, além de ser um sinal de respeito e consideração com quem se dedicou aos seus processos, pode ser um grande diferencial para sua marca empregadora.

Salário e Benefícios

Desde o início do processo seletivo, seja transparente sobre remuneração e benefícios, principalmente se você tiver um limite no orçamento para contratar. 

Se alguém quiser mais do que você está oferecendo, você deve considerar os benefícios que essa pessoa pode trazer para a empresa. Em muitos casos, abrir mão de um salário mais enxuto por uma pessoa mais qualificada pode trazer benefícios a longo prazo.

Não estar aberto a uma possível negociação salarial

Se alguém desejar negociar após receber uma oferta de emprego, ouça e entenda os pontos levantados e leve a questão para o resto do time. Pode ser que haja um ponto válido, e o pedido pode ser facilmente adaptável.

Você já se sentiu nadando contra a corrente quando se trata de negociar ofertas de emprego e está tendo dificuldade na atração de talentos? 

Agende um bate-papo agora mesmo com a 99Hunters e saiba como aumentar a força de atração da sua empresa e ter o suporte das melhores práticas de mercado trabalhando em sinergia com um time de especialistas de recrutamento.

Artigos Relacionados​

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *